Touro

Touro é o primeiro signo de terra do zodíaco, momento em que a força inicial do fogo ganha corpo, consistência, tempo. Se Áries é o Big-Bang que inicia o universo, Touro são os planetas entrando em órbita, se tornando redondos, condensação de poeira estelar. Um signo de encarnação, tornar carne, habitar a primeira casa que temos: nosso próprio corpo. Como o bebê que acaba de nascer e vai experimentar pelos sentidos o mundo ao redor. Sentir o sabor das coisas para conhecê-las, uma inteligência sinestésica que parte da escuta do próprio corpo para conhecer o mundo – o macio, o áspero, o salgado, o doce. Presença de montanha, reconhecimento do aqui e agora, busca por território, chão onde pisar, consistência. Um signo que cuida do que é primário pra nossa sobrevivência: nutrição, abrigo, repouso.

A terra é um elemento que fala dos processos do corpo, da matéria, do que tem forma, do que está sob as ordens do tempo-espaço. Só que vivemos numa cultura profundamente metafísica, separamos corpo e mente, usamos a Terra como se ela fosse uma coisa sem vida que podemos simplesmente nos apropriar. Por isso os signos de terra são reduzidos a coisas muito literais, Touro é retratado muitas vezes apenas como um signo que come, dorme e busca prazer.

Pra pensar em Touro gosto de trazer os antigos rituais de agradecimento à terra, rituais de fertilidade onde entregamos parte da colheita e do alimento à terra de onde viemos. Num mundo em que as pessoas estão tão alheias a si mesmas, consumidas pelo tempo da máquina, Touro pode nos dizer sobre a importância da ruminação, do reconhecimento dos tempos, dos processos. A nutrição não é apenas barriga cheia, envolve o processo de digestão, nosso corpo precisa de tempo pra absorver e tornar seu o que vem de fora. O sono não é apenas preguiça, é o momento em que produzimos memória e assimilamos tudo o que vivemos durante o dia. Touro é um signo muito primitivo, nos fala das coisas básicas da vida, a necessidade de estar aqui e não além. Vivemos no mundo da máquina, de pessoas robotizadas, anestesiadas e Touro nos fala da importância de voltar pros sentidos, pro sensível.

Um signo que pode nos ensinar sobre a inteligência do corpo, a inteligência da terra. Escutar o corpo para nos conhecer, conhecer o mundo e estar aqui com outra presença.

Cursos intensivos de astrologia

Depois dos trinta vira o signo do Ascendente? Como assim Plutão na astrologia? Venha discutir essas e outras questões em uma abordagem poética e artística da astrologia.

// CURSOS INTENSIVOS DE ASTROLOGIA // com Julia Francisca @trama_celeste

7/12, sábado – Urano, Netuno e Plutão na astrologia moderna

8/12, domingo – Casas Astrológicas (Ascendente, Meio do Céu)

das 13h às 18h

R$60 cada aula / R$100 as duas aulas

pagamento via depósito bancário

Rua Airosa Galvão, 139. Perdizes. São Paulo-SP

Inscrições pelo formulário: https://forms.gle/DQMYEebpkW1Kvvjn9

acesse o link de inscrição em @trama_celeste

Vênus: criação, composição e auto-amor

Curso teórico-prático de arte e astrologia

Estão abertas as inscrições! Este curso teórico e prático aborda a simbologia de Vênus na arte e na astrologia. Os seminários teóricos vão falar de arte, literatura, Vênus e os quatro elementos – fogo, terra, ar e água. A astrologia aqui aparece apenas como mais uma linguagem e traz vocabulário para a prática criativa. A partir desses temas, haverá oficina de colagem e produção de pequenos livretos com composições inspiradas nos quatro elementos.

A proposta do curso é trazer ferramentas para exercitar a potência criativa. Compreender Vênus como fonte de força erótica, eros, potência amorosa e criadora em nós. Um laboratório pra pensar quais composições desejamos fazer na vida, praticar o auto-amor e encontrar nossa capacidade de fazer escolhas mais alegres. Não é necessário nenhum conhecimento prévio em arte ou astrologia.

O curso será conduzido por Julia Francisca; astróloga, terapeuta, artista e editora do selo edições nectarina. Parceria com as queridas do @modafetiva

INFORMAÇÕES

27 e 28 de abril,  sábado e domingo

11h às 17h

12 vagas / carga horária: 12h .

certificado ao final do curso

Investimento: 3x de R$133 ou R$ 360 à vista .

Local: Instituto Gira-Sol – Rua Girassol, 34 – conj. 13. Vila Madalena. São Paulo-SP.

.Inscrições aqui: https://forms.gle/e3EccKFRjVJNVdJAA

Curso de formação em astrologia

Estão abertas as inscrições para as turmas de 2019! Mais informações no site www.tramaceleste.com.br

Neste curso a proposta é pensar astrologia como ferramenta de criação de leituras. Uma prática de criar leituras sobre as experiências – experiências vivas. São leituras poéticas porque envolvem um trabalho de criação. Encontrar instrumentos para escrever outras histórias, criar novos sentidos, subverter sentidos prontos, escolher diferentes caminhos. Esta é uma astrologia contemporânea que se vale da psicanálise e da prática da escuta. Assim como da filosofia para pensar nossas ações diante do cosmos. A arte costura todas as aulas, que são permeadas de referências artísticas e poéticas. Cada encontro acompanha material desenvolvido para o curso, além  de bibliografia sobre os temas.

> CURSO BÁSICO DE ASTROLOGIA (1o. ANO) – Zodíaco, signos, planetas e casas

Quinzenal – Quartas, das 19h30 às 22h

Intensivo – Sábados, uma vez por mês, das 12h às 17h

– Carga horária total: 50h/ano

– vagas limitadas

– certificado de participação ao final do curso

– Mensalidade: R$180 (março a dezembro)

– Inscrição: R$50

– Local: Instituto Apekatu, R. Airosa Galvão, 139 – Perdizes

Depois do curso básico é possível dar continuidade:

> CURSO AVANÇADO DE ASTROLOGIA (2o. ANO)

– planetas nas casas, aspectos entre planetas e nódulos lunares

> GRUPO DE ESTUDOS (a partir do 3o. ANO)

– leituras poéticas de mapa astral e trânsitos

Julia Francisca estuda astrologia há mais de dez anos e oferece o curso de formação desde 2016. Foi uma das proponentes do 1o Seminário do Núcleo de Estudos da Subjetividade da PUC-SP, da Pós-Graduação em Psicologia Clínica em 2016. É artista plástica e edita o selo feminista Edições nectarina.

Oficina: Lilith e as vozes selvagens

Como desconstruir o que foi domesticado, programado? Acolher aquilo que é visto como monstruosidade? Dar passagem a vozes selvagens deixadas no silêncio? Como encontrar alegria nesses processos? .

Lilith e as vozes selvagens é uma oficina que articula as linguagens da astrologia e do teatro para pensar essas questões. Jogos teatrais, consciência corporal, conversas sobre Lilith (Lua Negra) na astrologia, literatura e mitologia. A proposta é criar um espaço seguro para experimentação do corpo, do pensamento e da prática da escuta e do cuidado. .

A oficina está na sua segunda edição e surgiu das conversas entre a astróloga e artista Julia Francisca e a atriz chilena Veronica Galvez Collado que estuda Teatro do Oprimido e processos grupais na psicologia social. .

Oficina voltada para mulheres e público LGBT .

22 e 23/09, sábado e domingo, 15h às 19h

R$160 ou 2x de R$85

12 vagas

.

local próximo ao estádio do Palmeiras

12 minutos a pé do metrô Barra Funda

.

–> inscrições até 14/09 por aqui: https://goo.gl/forms/6J5Lg6X4bGJp2j542