O Sol está em Virgem!

Sol em Virgem – 23 de agosto a 22 de setembro

Considero Virgem o signo mais mal compreendido do zodíaco. Se olhamos os estereótipos não conseguimos chegar nem perto do que este signo representa. A palavra latina “virgo” originalmente dizia respeito a mulheres e deusas que possuíam a si mesmas, dedicadas ao conhecimento sobre a natureza e o corpo, não precisavam ser casadas e não dependiam de homens para engravidar. Com a passagem da astrologia pelo cristianismo medieval a palavra virgem virou sinônimo de castidade e ficamos com essa imagem de um signo pudico, maníaco por limpeza. Pois o signo de virgem fala sobre a capacidade da terra de se auto-fecundar, de se auto-regular. Signo das práticas de saúde, Virgem busca escutar os ritmos da natureza no próprio corpo. Signo artesão da vida, costura o cotidiano, busca práticas que criam contornos para não dissolvermos no cosmos.

“O que me interessa é isso, é a experiência cotidiana. E uma coisa maravilhosa é que ninguém, nenhum de vocês, nem eu, nem ninguém tem mais do que as 24 horas do dia e as necessidades básicas de cada um de nós. Nós não temos mais do que isso, a vida é só isso, só isso que nós temos. E nessa experiência aí, é disso que nasce, nesse entrechoque é que nasce esse maravilhamento, o absurdo da existência e a maravilha dela também. É a poesia, né? É a poesia.”
ADÉLIA PRADO no filme: Adélia Prado: uma mulher desdobrável.

imagem: Sol y vida, 1947. Frida Kahlo

–> texto da astróloga Liz Greene sobre Virgem (bibliografia do curso de formação)